O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

janeiro 06, 2015

Cantares de Janeiras

Teria os meus cinco anos quando pela primeira vez ouvi os cantares de Reis ou de Janeiras. Morava então num 1º andar da Travessa da Lanchinha.
Minha mãe amassava as filhoses à luz de um candeeiro a petróleo, enquanto eu e o meu irmão brincávamos por perto e até onde a escassa luz amarelada se diluía no escuro dos recantos da cozinha.  
De repente soam pancadas fortes na porta e ouvem-se vozes e risos lá fora. Lembro-me de ter ficado muito assustada.
- Não se assustem – disse minha mãe – é o pai e uns amigos que vieram cantar as Janeiras à nossa porta. 
E a cantoria começou ao som de alguns instrumentos.
A última quadra ( que vim a aprender mais tarde ) dizia:

Senhora dona de casa
Deixe-se estar que está bem
Mande dar a sua esmola
Pela jóia que aí tem

E aqui já a minha mãe tinha metido num talego um chouriço, um bocado de pão e algumas laranjas para nós irmos oferecer.
O escuro da noite e os enormes capotes que os protegiam do frio, davam ao grupo um ar fantasmagórico que só foi quebrado quando ouvi a voz de meu pai.

E lá seguiram batendo e cantando a outras portas saudando os donos da casa, para angariar mais “esmolas” que acabariam num bom e alegre petisco!




4 comentários:

Arco-Iris disse...

Como é bom recordar esses tempos da nossa infância.
Gostei tanto de ler essas memórias, porque em relação às "Janeiras" não me recordo mesmo de nada.
Beijinhos

Memories disse...

Durante muito tempo deixámos de ouvir os cantares de Janeiras, talvez por isso não tenhas qualquer referência. Felizmente que estão de volta! Ainda há por aí gente atenta e pronta a não deixar morrer as nossas tradições.
Beijinhos e Feliz Ano Novo!

Lia Noronha disse...

Belas recordações..narradas com esmero!!! Abraços meus.

H.Lourido disse...

Olá Lia!
Muito obrigada pela sua visita e pelos seus simpáticos comentários.
Fiquei encantada, pois quando vou deixando aqui alguns retalhos das minhas memórias, nunca me lembro que alguém do outro lado do mar possa estar a ler.
Seja muito bem vinda e prometo que um dia destes retribuirei a sua visita !
Um abraço
Cila