O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

abril 27, 2014

Ao dobrar do tempo

Já me esqueci
Das cantigas de embalar
Das histórias de encantar
Na hora de adormecer

Já me esqueci
Do nome dessa boneca
Feita e de trapo coberta
Que me ajudou a crescer

Já me esqueci
Do primeiro livro que li
Ou da carta que escrevi
Manifestando o meu querer

Mas não esqueci
O carinho e os abraços
Envoltos em fortes laços
Criados logo ao nascer

Nem quero pensar
Que o tempo possa apagar
A prata desse luar
Que alimenta este meu ser!

Sem comentários: