O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

outubro 16, 2013

Espelho Meu

A maior parte das pessoas não gosta de se olhar no espelho, pois raramente gosta da imagem que ele reflete, que é a sua!
É difícil vermo-nos e aceitarmo-nos como os outros nos veem. E à medida que os anos passam, a insatisfação aumenta. Aquela cara, as rugas, os kilos a mais ou a menos…. E porquê? Porque a tendência é julgarmos as pessoas pelo seu aspeto superficial. Felizmente que quando temos a oportunidade de as conhecer na verdadeira acessão da palavra, a sua personalidade e características comportamentais ganham tal força, que conseguem dissimular muitas das imperfeições por mais evidentes que sejam.
Quando reflito sobre este assunto, lembro-me sempre de uma colega que tive que nasceu estrábica. Nos primeiros contactos evitava olhá-la nos olhos. Tinha dificuldade em perceber a direção que o olhar dela tomava. Já tinham passado muitos anos quando ela se sujeitou a uma intervenção cirúrgica, tendo corrigido o problema. Com visível satisfação perguntou a minha opinião, e eu hesitei na resposta. Ela pretendia partilhar comigo a libertação de uma angústia que tinha carregado toda a vida, de uma imperfeição que há muito eu  tinha deixado de ver...


Sem comentários: