O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

agosto 25, 2013

Tu

Hás-de ficar sempre
Comigo em pensamento
Dentro da alma
Mais solta e mais leve
                    do que o vento

Como as borboletas
Que esvoaçam pelos ares
Hei-de sentir-te bater
Bem no fundo
Como se tudo
                    se abrisse

Ou se fechasse para o Mundo
Assim, em espuma
Esbranqueada pelos mares!
Hei-de ouvir
Essas gaivotas a piar
                    p´la madrugada

Num bando calmo
E de manso apelo
                    ao nada

Como se ouvisse
Alguém por ti chamar!
E a noite, essa,
Há-de cair sombria
Nos meus versos
                    cheios de mágoa

E só tu gaivota
Hás-de voltar
                    voando

Com os olhos rasos de água
E aquecer na areia
                    o frio do meu olhar! ...


                                                                                Da minha grande amiga
                                                                                         Fátima Nunes


Sem comentários: