O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

janeiro 27, 2012

Postura



Sentada na ponta do sofá frente à televisão lá   estava a minha neta entre os pais no aconchego do serão em família.
- Tão mal sentada e tão direita... parece que engoliste um garfo - diz a mãe sorrindo.
- Aprendi hoje na aula de dança que para ser uma boa bailarina tenho que manter as costas direitas - respondeu ela. A mãe voltou a esboçar um sorriso um pouco trocista, mas, disfarçadamente ajeitou-se no sofá tentando endireitar as dela. Pelo canto do olho, observava as duas e sorria para dentro. Vejo-as como duas crianças, as minhas crianças...

Sem comentários: