O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

agosto 05, 2011

O ensaio



Ao serão, em casa dos meus avós havia um espaço de ensaio de uma banda jazz de nome "Oriental".  Eu acabava por adormecer embalada pelos temas românticos que animavam os salões das sociedades recreativas nos anos 50, e enquanto dormia serenamente, as notas foram-se colando uma a uma à minha sensibilidade,  do que resultou  esta minha grande paixão pela música.
Guardo com carinho o clarinete que o meu pai tocava como um verdadeiro mestre.


Sem comentários: