O Tempo

"O tempo! O passado! Aí algo, uma voz, um canto, um perfume ocasional levanta em minha alma o pano de boca das minhas recordações... Aquilo que fui e nunca mais serei! Aquilo que tive, e não tornarei a ter! Os mortos! Os mortos que me amaram na minha infância. Quando os evoco toda a alma me esfria e eu sinto-me desterrado de corações, sozinho na noite de mim próprio, chorando como um mendigo o silêncio fechado de todas as portas."
........................................................................................................................ Fernando Pessoa

junho 10, 2011

Cá vai Lisboa


Lisboa vestiu-se de marchante e anda na rua!
Está radiosa e orgulhosa dos seus bairros e das suas gentes que defendem com alegria e muita garra a alma dos bairros que as viram nascer.
E lá está Santo António a abençoar a festa que é de todos, e até daqueles que nestes dias vêm de longe para ter um saboroso encontro com boa sardinha a pingar no pão (puxando um bom vinho), e ao som dos gemidos de uma guitarra  acompanhando a nossa expressão máxima “ o fado”.



Sem comentários: